Azul e Branco

Azul e Branco

sábado, 21 de dezembro de 2013

A Luz ao fundo do túnel que vai ganhando intensidade

Durante a semana disse que o FC Porto tinha obrigação de ganhar à Olhanense, nem que estivesse obrigado a utilizar grande parte dos jogadores que pertencem à equipa B. Os algarvios são, provavelmente, a equipa mais fraca da Liga Zon Sagres e demonstraram-no  no relvado  do Dragão. No entanto, a verdade é que o FC Porto esta época já tinha sentido imensas dificuldades em jogos contra equipas deste calibre, dificuldades essas que se traduziram em exibições medíocres e em  perdas de pontos incompreensíveis.

Na noite fria de ontem, nada disto aconteceu. Os dragões mostraram em campo que são infinitamente melhores que estas equipas do fundo da tabela da nossa liga e castigaram o adversário com uma goleada por 4-0, tendo, ainda, desperdiçado pelo menos mais 4 ou 5 golos cantados. O resultado pecou por escasso, mas a atitude e a qualidade dos portistas ficou bem patente ao longo dos 90 minutos e em especial nos dois últimos golos. Deveria ser sempre assim, tem de ser sempre assim! Contra adversários que não têm qualidade para acertar 3 passes seguidos e que se limitam a bombear a bola para o meio campo dos azuis e brancos, não podemos dar quaisquer hipóteses. Temos plantel para isso, ao contrário do que tem sido defendido por muitos portistas. Considero que temos um bom plantel, ao qual apenas falta um extremo de qualidade (não sei mesmo se Quaresma é a melhor solução) e com a saída de Fucile precisaremos também de um lateral .

A boa exibição de ontem deu seguimento a uma 2ª parte muito bem conseguida frente ao Braga  e a um jogo em Vila do Conde que tinha trazido alguns bons indícios. Com CE20 disponível, o meio campo do FC Porto transforma-se. Fernando joga solto à frente da defesa, varrendo aquele espaço como só ele sabe fazer e entregando a bola jogável nos médios à sua frente ou nos alas abertas na linha. CE20 assume o jogo de ataque, criando desequilíbrios com passes de rotura ou ultrapassando os adversários com a bola controlada num misto de qualidade técnica e de explosão em curto espaço. Lucho vagueia pelo meio campo, dando um equilíbrio táctico que só ele sabe fazer (talvez defour também o consiga), permitindo equilíbrios à equipa quando esta perde a bola. Honestamente não consegui perceber com que tipo de triângulo jogamos neste momento. Numas alturas do jogo, pareceu-me ver Lucho recuar um pouco e juntar-se a Fernando, noutras fiquei com a sensação que este se juntava mais à frente a CE20. Calculo que Paulo Fonseca lhe dê um pouco de liberdade nesse sentido, cabendo a Lucho decidir onde se colocar nos espaços entre o médio mais avançado e o mais recuado, consoante aquilo que o jogo for pedindo. A outra boa notícia em termos tácticos, é que pelo segundo jogo consecutivo jogámos com dois extremos verdadeiros, sem adaptações, o que não permite a subida da defesa contrária com tanta facilidade e os obriga a baixar as linhas para junto da grande área. Jackson Martinez pode assim jogar regularmente dentro da área e não tem de recuar tanto ao meio campo para ir buscar jogo. Este desenho táctico permitiu ao FC Porto vencer os últimos três jogos para o campeonato e fez com que os dragões subissem consideravelmente o nível exibicional. Caso o mesmo se mantenha, prevejo que a luz ao fundo do túnel que se vislumbrou na segunda parte do jogo com o Braga vá ganhando intensidade e que no final da época a luz que iremos ver seja a dos foguetes sobre a Câmara Municipal.

Quanto aos destaques do jogo de ontem, penso que Helton e os restantes defesas estiveram bem, melhor Otamendi que Maicon, o qual insiste em fazer algumas faltas desnecessárias. Danilo não atacou muito, mas quando o fez, fê-lo com critério.Mangala surpreendeu na esquerda e podia até ter bisado. Fernando fez mais uma grande exibição, na senda daquilo que tem vindo a fazer esta época. Lucho esteve bastante apagado na primeira parte, lento com e sem bola, falhando passes fáceis e perdendo muitas bolas divididas. Varela esteve bem qb, não deslumbrando mas também sem estragar jogadas de ataque. Licá foi o elo mais fraco da equipa, e está, neste momento, a léguas daquilo que fez no primeiro mês da temporada. Ele nunca será tão bom como nesse mês, mas, seguramente, é muito melhor do que aquilo que produziu ontem. Jackson Martinez voltou a facturar e a mostrar que é um avançado de grande qualidade (ai se aquela bicicleta entrasse!!). Kelvin entrou bem, querendo mostrar serviço. É verdade que por vezes exagera, mas essa noção só se ganha com tempo de jogo e penso que é isso que ele necessita. Herrera mostrou bons pormenores no meio campo ofensivo e estreou-se a marcar com um excelente golo. Ghilas, mais 5 minutos em campo. Juro que não consigo entender porque entra tão tarde. Muito honestamente, acho que está a ser feito tudo para perdermos este jogador para a segunda volta do campeonato... No que diz respeito ao árbitro, honestamente não gostei. Fiquei com a sensação que estava com "pena" da Olhanense e não queria que o resultado disparasse. Dois penaltis ficaram por marcar: um evidente  por mão na bola na étapa complementar e um menos evidente por derrube a Licá nos primeiros quarenta e cinco minutos. Na segunda parte, CE20 sofreu uma falta absolutamente clara na direita do ataque. O árbitro nada assinala. CE20 pede falta e ri-se, o árbitro responde "é igual" e ri-se também. Como quem diz, mais um, menos um, o que interessa?

MVP: CE20 foi, mais uma vez, o melhor em campo. Joga e faz jogar. Remata, finta, sprinta, corta. Bate livres, cantos e espero que também venha a marcar penaltis. Ontem somou 2 assistências e um magnífico golo à sua conta pessoal. Na retina ficou ainda uma bomba de primeira na 2ª parte que não deu golo por muito pouco, uma assistência milimétrica para a bicicleta de Jackson e uma arrancada na esquerda na 1ª parte, em que passa a bola por cima do adversário, embala para dentro da área e remata para a defesa do guardião da Olhanense.


Estamos, finalmente, no bom caminho. Há que mantê-lo!!










1 comentário:

  1. Meu caro,

    Concordo em geral com a tua crónica. Estava a precisar de ir ao Dragão e ver um jogo desta qualidade, ainda que, como referiste, o adversário talvez seja a pior equipa do campeonato. Carlos Eduardo foi o melhor em campo e faz/é aquilo que mais nenhum jogador no nosso plantel consegue. Custa perceber como se demorou tanto a perceber o valor deste senhor, quer pelo que já tinha demonstrado na época passada no Estoril, quer pelo que já tinha produzido na equipa B. E para mm não serve o argumento de que o Estoril e equipa B não são o FCP e que o grau de exigência é outro. Se Licá serviu desde o 1º dia, por que razão Carlos Eduardo precisou de 120?
    Discordo apenas com a tua ideia de que talvez Defour poderá substituir Lucho. Defour, ainda que não com a mesma qualidade, só pode jogar na posição de Fernando.Os seus melhores jogos ao serviço do FCP foram nessa posição. Aposto mais no Herrera para número 8!

    Abraço

    ResponderEliminar