Porto Bayern

Porto Bayern

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A reabertura do mercado e mais uns bitaites

O FC Porto voltou hoje ao trabalho e "o pé que está mais à mão" aproveitou a boleia para regressar ao activo depois de uma pequena pausa natalícia. Queria agradecer ao Filipe Ortigão Guimarães a crónica com que nos brindou, realçando que concordo quase integralmente com ela (quase integralmente porque acho que o Herrera e o Ghilas vão ser muito úteis na segunda metade da época) e agradecendo-lhe o boost que proporcionou às visualizações da página e à divulgação deste blog. Gostaria também de agradecer ao Vila Pouca e ao Miguel os votos de feliz de natal que me endereçaram, esperando que tudo lhes tenha corrido como desejavam durante estes dias.

No que à agenda dos dragões diz respeito, vamos agora entrar num ciclo muito complicado. O próximo mês será decisivo não só para percebermos se o FC Porto está, definitivamente, no bom caminho em termos de futebol jogado, como também para retocar o plantel que atacará a recta final do campeonato. Se por um lado é importante entrarmos com o pé direito na taça da liga e nos jogos oficiais de 2014, por outro lado é ainda fulcral agir com critério nesta reabertura do mercado de transferências.

Ricardo Quaresma ainda não treinou hoje no Olival mas é reforço do FC Porto e será uma solução com características diferentes nas alas do ataque. Com o regresso do "Cigano", penso que Ricardo acabará por ser emprestado (Guimarães?) e não haverá mais mexidas nessa zona do terreno. Não sei se Quaresma é a melhor opção para reforçar a equipa, mas atendendo ao facto de que estava sem contrato, não me parece um negócio muito arriscado, concordando ainda com a opinião de Jaime Pacheco quanto ao seu rendimento.

Em sentido contrário, Fucile vai abandonar o FC Porto e deverá estar de regresso ao Uruguai, o que me deixa bastante satisfeito. Fucile deixou que a fama lhe subisse à cabeça desde que brilhou no Mundial da África do Sul e nunca mais foi o Fucile das primeiras épocas de dragão ao peito. Com o uruguaio de partida, ficamos com apenas dois laterais de raiz no plantel, sendo que Maicon poderá desenrascar à direita e Mangala à esquerda. Quanto aos laterais da equipa B, já se percebeu que Paulo Fonseca confia mais em Victor Garcia do que em Quiñones, que nem convocado foi para o último jogo do campeonato com Alex Sandro de fora devido castigo. Talvez contratar um novo lateral esquerdo com margem de progressão para ser suplente do brasileiro não fosse má opção...

Quanto a mais saídas e entradas, preferia que o plantel não sofresse alterações, até porque desconfio que os reforços para a segunda volta já estão no plantel. CE20 está a mostrar a razão pela qual foi contratado e Herrera, Quintero e Ghilas (convém entrar antes do 85m para isso...) têm tudo para render muito mais do que até aqui. Gostava que Otamendi e Jackson Martinez ficassem pelo menos até ao verão e que o FC Porto resistisse à tentação de os vender. Já no que respeita a Fernando e a Defour, tenho, infelizmente, a sensação que um dos dois vai abandonar o FC Porto. Ou Fernando sai e permite algum retorno financeiro ao clube, ficando Defour responsável pelo meio campo defensivo dos dragões, ou sai Defour, que precisa de jogar para marcar presença na dream team belga que estará no Brasil, ficando Fernando até ao final da época. A ver...

Taça da Liga:
Não vou fingir que este ano a Taça Lucílio Baptista passou a ser importante e que gostava que o FC Porto alterasse a forma como a encarou nas últimas edições. Embora o FC Porto tenha obrigação de jogar sempre para ganhar, ainda para mais em competições nacionais, penso que Paulo Fonseca deveria apostar em vários dos jogadores menos utilizados, misturando-os com outros que trazem alguma consistência à equipa. 
Penso que esta é a melhor competição para os jogadores ganharam alguma rodagem e não é o facto do jogo ser em Alvalade que me faz mudar de ideias, até porque o jogo para a Taça de Portugal com o Atlético antecede a deslocação à Luz. Assim, o Porto deverá apresentar-se com um 11 muito próximo do 11 titular que jogará na Luz para os jogadores não irem sem ritmo para o clássico, o que não permitirá aos menos utilizados jogarem os minutos que ambicionam.

Em Alvalade, gostaria de ver um onze como o que a seguir sugiro: Fabiano, Danilo, Reyes, Mangala, Alex Sandro, Fernando, Defour, Carlos Eduardo, Kelvin, Jackson e Ghilas, com Herrera e Quintero a terem oportunidade de jogar durante alguns minutos na segunda parte. 

Premier League - Boxing Day:

Enquanto em Portugal a Liga Zon Sagres pára 3 semanas sem nenhuma razão válida, em Inglaterra não se brinca ao Pai Natal e ao futebol profissional. Por alguma razão a Liga portuguesa vai perdendo visibilidade e importância e a Premier League mantém-se no topo das preferências dos adeptos do futebol. Não consigo compreender uma paragem tão longa no campeonato e as constantes desculpas dos treinadores portugueses relativamente ao cansaço dos jogadores, sendo que estes apenas jogam aos fins de semana, ao contrário das mais variadas ligas europeias. Veja-se o exemplo do Chelsea: jogou segunda com o Arsenal (equipa de champions league), jogou ontem com o Swansea (equipa apurada na fase de grupos da liga europa) e joga o fim de semana com o Liverpool, que é só uma das equipas em melhor forma na europa. Já em Outubro tinha jogado dia 27 com o Man. City e 29 com o Arsenal. e ganhou os dois!! Estes são jogos em que o tempo útil de jogo, a qualidade dos intervenientes, as condições meteriológicas e a dureza dos tackles e os contactos físicos permitidos nem se comparam ao que se vê por cá. E não os oiço constantemente a queixarem-se que estão cansados. São profissionais de futebol, são pagos para jogar futebol, para dar espectáculo, ponto (vejam as reviravoltas no marcador, os resumos e os resultados!!).

Em Portugal, jogos da porcaria da Taça de Liga e da pouco motivante Taça de Portugal são jogados ao fim de semana, provocando grandes paragens no campeonato. O FC Porto joga domingo com o Sporting e depois só no fim de semana seguinte com o Atlético. Porque não à quarta feira? O Sporting, por exemplo, joga domingo com o FC Porto e só volta a jogar passadas duas semanas para o campeonato. Profissionais, nós? Em Portugal? Só se formos profissionais das folgas, das férias e das greves, porque de resto.....











4 comentários:

  1. O futebol é apenas e só uma metáfora da vida...
    Por esta paragem longa do campeonato se vê a produtividade de um povo que reclama subsidios a torto e a direito, só exige direitos e acha inconstitucional trabalhar 40 horas por semana....

    Bluesky

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. @ bluesky

      «e acha inconstitucional trabalhar 40 horas por semana»

      cansei de ouvir merd@s como essa.
      antes de mandares bacoradas, informa-te das razões por que há quem se revolte. podes saber algo mais aqui e aqui. e não me refiro só à questão de trabalhar mais cinco horas semanais sem o correspondente aumento no salário (antes pelo contrário)...

      Eliminar
  2. @ Tiago

    i)
    «Quanto aos laterais da equipa B, já se percebeu que Paulo Fonseca confia mais em Victor Garcia do que em Quiñones, que nem convocado foi para o último jogo do campeonato com Alex Sandro de fora devido castigo. Talvez contratar um novo lateral esquerdo com margem de progressão para ser suplente do brasileiro não fosse má opção»

    acredita: Quiñones é esse «novo lateral esquerdo com margem de progressão». tenho visto os últimos jogos da equipa B e ele não é tão "meco" como lhe pintam

    ii)
    sobre a paragem para as festividades natalícias, não poderia estar mais de acordo. até parece que o nosso comezinho futebol não vive com dificuldades de tesouraria...

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  3. Miguel, eu do que vi do Quinones, gostei. Mas acho mesmo que o paulo fonseca nao pensa como eu, caso contrario nao teria apostado em mangala contra a pior equipa da liga. Se ele nao e convocado contra a olhanense, vai jogar contra quem?

    ResponderEliminar