Porto Bayern

Porto Bayern

domingo, 29 de dezembro de 2013

Se tivessem sido os menos utilizados até percebia...

A equipa do FC Porto que jogou hoje contra o Sporting tudo fez para dar um presente de anos envenenado a Pinto da Costa. Foi uma exibição fraca, sem chama, sem garra, sem organização (a transição defesa-ataque é demasiado fraca para ser verdade) e sem fazer jus à história do nosso grande presidente. 

Não merecíamos o empate e tenho, até, sérias dúvidas que merecessemos perder só pela margem mínima, tal foi o volume de ataque do adversário e tais foram as oportunidades de golo iminentes desperdiçadas pelos leões ou negadas por Fabiano.
Volto a frisar que, para mim, a Taça da Liga não é importante. Não consigo vê-la como uma competição a sério. Mas das duas uma:

1) Ou aproveitamos para dar rodagem aos jogadores menos utilizados e que precisam de se ambientar às exigências do FC Porto e assumimos que perder e exibições fracas fazem parte desse processo evolutivo 

2) Ou encaramos a competição para ganhar e jogamos com grande parte da equipa habitualmente titular, não podendo admitir exibições como a de hoje.

Agora, não faz qualquer sentido não dar oportunidade a jogadores como Kelvin, Reyes, Quintero, Ricardo e outros da equipa B (p. ex. os laterais) e depois sermos brindados com massacres como o de hoje. Preferia ter jogado com os menos utilizados e ter arriscado uma derrota a ver o que vi hoje, que me relembrou o pré Braga.

Não gosto de falar de Paulo Fonseca, até porque é evidente a minha opinião sobre o nosso treinador, mas hoje não posso deixar de comentar as suas declarações no final do jogo. Continuo com a sensação que ele não sabe a equipa que está a treinar e que não faz ideia do que é Ser Porto. Os discursos sem ambição e que não transmitem qualquer motivação e força aos adeptos repetem-se a uma velocidade alucinante.
Hoje ouvi Paulo Fonseca considerar que o resultado se aceita, que o FC Porto foi para este jogo com muitas cautelas e que a exibição não foi melhor porque o FC Porto fez alinhar vários novos jogadores.

O facto de ter referido que o resultado se aceita, leva-me a crer que do banco não se vê bem o jogo.

O facto de ter optado por jogar com muitas cautelas, todos nós já tínhamos percebido isso. Uma única clara oportunidade de golo (na primeira parte) e uns segundos quarenta e cinco minutos a rezar para que Fabiano nos safasse tinha sido suficientemente elucidativo dessa opção. Meu caro, de uma vez por todas, isto não é o Paços de Ferreira, toca a acordar para a nova realidade!!!

O facto de ter afirmado que utilizou vários novos jogadores, é falso. Os únicos jogadores que jogaram de início com pouca utilização esta época foram Ghilas e Fabiano. Herrera joga com regularidade. Ou seja, uma única alteração em relação aos jogadores de campo (o Sporting também jogou com Dier e Marcelo, já para não falar de Slimani, habitual suplente). Uma única alteração não justifica termos feito tão pouco durante 90 minutos.

Análise aos jogadores:

Fabiano -  intransponível. MVP
Maicon e Mangala - não estiveram muito bem, mas não foi por aí que abanamos
Alex Sandro e Danilo - ainda não voltaram das férias de Natal no Brasil
Fernando -  exibição mais fraca do que o normal, mas mesmo assim foi dos melhores do meio campo
Herrera - tirando um ou dois bons apontamentos ofensivos, exibição para esquecer
CE20 - muito mais apagado que o normal, marcado muito bem William Carvalho. Mal expulso
Varela - o melhor do FCP na primeira parte, baixou um pouco de rendimento na segunda
Licá - confesso que estava muito entusiasmado com a sua contratação e início de época. Neste momento tenho dificuldades em perceber como caberia sequer nos 18 convocados
Ghilas - Sem ritmo e abandonado na frente de ataque, não conseguiu segurar jogo de costas para a baliza
Lucho - entrou bem, tentou organizar o meio campo
Jackson - sem tempo para mostrar serviço, não se destacou pela positiva ou negativa
Defour - entrou mal, com baixa rotação e não conseguiu fazer o trabalho que de Fernando

Olegário Benquerença fez uma razoável arbitragem, se exceptuarmos os últimos 15m em que tentou empurrar o Sporting para a frente. O primeiro amarelo de CE20 pareceu-me forçado. Todos os jogadores falaram e berraram o que quiseram, só ele levou amarelo. O segundo amarelo foi claramente exagerado, foi uma disputa de bola mais dura, mas nada de mais. Se CE20 merecia amarelo por aquela falta, o William Carvalho merecia um cartão de cor quando varreu Varela sem bola?

Ao menos o empate abre boas perspectivas de passar às meias finais. Espero é que o FC Porto defina bem o que quer desta competição...

Adenda: Parece que CE20 foi expulso por engano...bem me parecia que o primeiro amarelo tinha sido muito forçado e sem razão de ser. Não se viram imagens do jogador a protestar e quem fez a falta foi o Danilo, que minutos antes tinha sido avisado pelo árbitro para ter calma...



5 comentários:

  1. Eu até queria comentar. Mas o amigo disse tudo!

    ResponderEliminar
  2. Mais um jogo vulgar do FCP. Até podemos ironizar e dizer que contra o melhor Sporting dos últimos dez anos, já ganhamos um jogo e empatamos outro. Quanto ao que vi, foi um conjunto de jogadores esforçados de parte a parte, com alguns toques com sabor sul americano de quando em vez, sempre a correrem, mas com pouco discernimento. O FCP que iniciou a época com um novo treinador com novas ideias e inicialmente até parecia resultar em alguns sectores: Mais homens na área ( quatro nas jogadas atacantes) em contraste com os um ou dois da era Vítor Pereira. Mais controle defensivo por parte dos médios em duplo pivot, e permitia a subida mais afoita dos dois defesas laterais (na era Vítor Pereira, normalmente um subia e o outro ficava); infelizmente o sistema também trouxe alguma infelicidade defensiva. Mas o que é mais extraordinário neste novo modelo, é que teve o canto do cisne no jogo da supertaça!!!!!
    Depois disso parece um grande slalom numa montanha suíça ,o que não admira. Ouvindo o Paulo Fonseca a quase meio ano não tenho a menor dúvida das suas capacidades motivadoras. Neste momento, nem sei se o processo ofensivo, da equipa tem algo parecido com jogadas de envolvimento ofensivo, ou apenas uns rapazes que são dotados para a bola e jogam desde putos, e alguma coisa tem que sair.
    A evolução do PF no FCP faz-me lembrar aquela estória de um rei que pediu um fato ( ignorar acordo brasileiro) elegantíssimo a um alfaiate. E este perante tamanha pressão resolveu dar-lhe uma fatiota invisível. Não o maço com mais pormenores da estória. O único contraste entre a estória e o que prevejo que vai acontecer é: Na estória um puto ao ver passar o rei, perante a estupefação do povo a elogiar a vestimenta do rei, disse - "O rei vai nu". Na nossa estória actual não vai ser um puto, vai ter que ser o presidente. Claro quando ele disser, todos vão dizer - " O PF só é bom para o Paços"

    ResponderEliminar
  3. Sobre Paulo Fonseca não me queria alongar muito. Já disse que acho que ele não é treinador para o Porto e não quero estar sempre a bater na mesma tecla. Toda a gente consegue ver coisas que estão mal, menos ele. Desde o duplo pivot do meio campo, à titularidade do Licá, à falta de oportunidades de Kelvin e aos cinco minutos por jogo de Ghilas. Termino apenas com o ditado: "pior cego é aquele que não quer ver"

    ResponderEliminar
  4. @ Tiago

    não acrescento mais nada a que afirmou o primeiro anónimo, que "disse" tudo que haveria para ser dito.

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  5. caríssimo Tiago, caríssimas(os),

    desejo a todas(os) vós um Feliz Ano Novo! de 2014, sobretudo junto daqueles que mais amais e que vos são mais queridos.
    e, se for possível, lá para Maio, que a sua cor dominante seja o azul-e-branco :D

    no fundamental:
    também gostaria de, em breve tempo, poder(mos) sentir que:

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!


    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! :D
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar