Azul e Branco

Azul e Branco

domingo, 26 de janeiro de 2014

FC Porto 3 - 2 Marítimo: Que grande chouriço

O FC Porto recebeu o Marítimo a contar para a 3ª e última jornada da Taça da Liga e alcançou 1 vitória por 3 bolas a 2, o que lhe permitiu apurar-se para as meias finais da competição. Foi um jogo de loucos, com 2 reviravoltas no marcador e com indecisão até ao último segundo no que diz respeito ao 1º classificado do grupo, uma vez que o Sporting jogava à mesma hora em Penafiel, sendo expectável que ambas as equipas terminassem a fase de grupos com os mesmos 7 pontos, decidindo-se o apuramento pelos restantes factores de desempate.


Paulo Fonseca escolheu um 11  sem grandes surpresas e não deu lugar a qualquer rotação do plantel, tirando a já habitual presença de Fabiano nas taças. Dos restantes 10 jogadores, parece-me claro que 8 deles são, neste momento, titulares indiscutíveis, sendo que apenas tenho dúvidas se Maicon e Defour (que desilusão!) são os homens certos para jogaram de início. Os dragões tiveram uma entrada em jogo muito áquem do que seria de esperar, permitindo que o Marítimo subisse as suas linhas no terreno de jogo e causasse muitas dificuldades aos dragões na primeira fase de construção. Os primeiros 20m de jogo foram francamente maus, tendo o FC Porto chegado ao golo inaugural sem que nada tivesse feito para o justificar (boa jogada de combinação entre CE20, Jackson e Defour, com este último a rematar cruzado para a defesa do guarda redes insular e com o colombiano a aproveitar a recarga para empurrar a bola para o fundo das redes). Conseguido aquilo que aparentemente seria o mais difícil, foi surreal perceber que logo no minuto seguinte e numa jogada repleta de asneiras individuais (Defour, Alex Sandro e Maicon) o Marítimo chegaria ao empate, sem que também até ao momento tivesse criado reais oportunidades de golo.

Seguiram-se 10m interessantes de reacção dos azuis e brancos, com algumas jogadas de relativo perigo junto à baliza dos visitantes. O golo acabaria por surgir na baliza portista, numa rapidíssima transição ofensiva maritimista, aproveitando o balanceamento ofensivo do FC Porto. Incrível a forma como o FC Porto é constantemente apanhado em contrapé nas transições ataque defesa, mesmo com a surreal insistência na utilização do duplo pivot defensivo.Até ao intervalo, realce apenas para a substituição de Josué por Fernando, ao que tudo indica por lesão do luso brasileiro.


Esperava-se uma entrada determinada dos dragões na segunda parte, até porque o Sporting nessa altura já tinha recuperado da desvantagem no marcador e empatava em Penafiel, conjugação de resultados essa que atirava o FCP para longe das meias finais. Puro engano. O início da segunda parte trouxe muito coração, muita vontade, muito suor mas trouxe também a mesma (ou talvez ainda mais) desorganização táctica e falta de inspiração da primeira parte. Paulo Fonseca desesperava no banco com aquilo que o FC Porto não fazia em campo e também porque deve ter tomado conhecimento de que o SCP tinha dado a volta no marcador no seu jogo, pelo que o FC Porto estava obrigado a marcar dois golos para se apurar. Ghilas substituiu Defour e juntou-se no centro do ataque a Jackson e mais tarde entrou Quintero para o lugar de Maicon. Estava, assim, literalmente a carne toda no assador: CE20, Josué, Quintero, RQ7, Varela, Jackson e Ghilas. E ainda há quem me queria convencer que a taça da liga não é para ganhar.,, Mérito para a coragem de Paulo Fonseca neste sentido, o que atenua um pouco todos os restantes os erros e aspectos negativos do jogo em termos de organização, qualidade técnica e estratégia.

O Sporting acabaria por fazer o 3-1 em Penafiel e muitos pensaram (eu e Paulo Fonseca incluídos, bastando para isso ver a reacção do treinador depois do 3-2) que seriam necessários 3 golos para o FC Porto conseguir o apuramento. CE20 acabaria por empatar de cabeça ao segundo poste após canto de Josué e os adeptos e a equipa pareciam acreditar que o milagre era possível. Faltava pouco tempo para o final do jogo e agora todos faziam contas de cabeça e analisavam os regulamentos para tentar perceber os critérios de desempate: um golo chegava, vamos equipa! Já não havia táctica, já não existiam posições, só existia coração e a lembrança do minuto 92 de Kelvin. Ghilas falha de cabeça o terceiro golo por pouco, RQ7 desperdiça um livre em zona frontal, o tempo de descontos (estupidamente escasso para o anti jogo permanente dos jogadores do Marítimo) voa para o final...Acredita Porto!!! Bola bombeada para a entrada da área do Marítimo, o defesa atrapalha-se e falha o corte, Ghilas aproveita, segue isolado para a baliza e cai na área embrulhado com o adversário. O Dragão sustém a respiração...será penalti? será cartão amarelo estapafurdio para Ghilas por simulação (ao estilo de Soares Dias a Danilo na Luz)? É penalti!! As imagens não deixam margens para dúvidas, e por muito que custe aos adversários, os penaltis devem ser assinalados ao 1m, aos 37m, aos 81m ou aos 93m de jogo. 


Faltava Josué converter. E que tarefa hérculea tem sido para os portistas a de converter grandes penalidades! No entanto, Josué não treme e fuzila as redes adversárias, convertendo uma grande penalidade da forma que elas devem ser sempre convertidas. Em força, para um dos cantos, de preferência a dois ou três palmos da relva: indefensável!!

Análise rápida aos jogadores:

Fabiano: globalmente bem, dificilmente poderia ter feito melhor nos golos, manteve viva possibilidade de apuramento ao negar o terceiro golo do Marítimo;
Danilo: excessivamente nervoso e quezilento, acabou batido no 2º golo, fraca exibição apesar de uma outra boa jogada de envolvimento com RQ7 no ataque;
Maicon: jogo bastante fraco do brasileiro, batido facilmente no primeiro golo e não conseguindo limpar a zona defensiva com eficácia;
Mangala: não começou muito bem, mas acabou por ser fundamental quando a equipa defendeu só com 3 unidades;
Alex Sandro: defensivamente bastante desconcentrado. O Marítimo atacou maioritariamente pelo seu lado (vejam-se os 2 golos). Bastante melhor a atacar, efectuou alguns bons cruzamentos para a área;
Fernando: menos exuberante que o normal, talvez por estar com limitações fisicas;
Defour: é este jogador que está constantemente a mandar recados pelo empresário para a imprensa? Se sim, pode muito bem fazer as malas. Quero o Defour do ano passado de volta, sff;
CE20: Marcou um golo pleno de sentido de oportunidade, tentou levar o jogo para a frente (foi ele que recuperou a bola no primeiro golo). Pecou por ter jogado na primeira parte muito perto de Jackson e por não ter arriscado a sua forte meia distância;
Varela: Jogo menos bom do Drogba da Caparica, muito mais apagado do que nos últimos jogos;
RQ7: Aplica-se o mesmo que disse de Varela. Tentou assumir o jogo, mas as coisas não lhe saíram bem;
Jackson: Exibição esforçada, coroada com um golo (mais um) e com uma assistência deliciosa para Defour. Ao contrário do "melhor jogador colombiano do campeonato", do avançado mortífero que vai em sete jogos seguidos sem marcar, este parece que engatou e que não vai parar de facturar;
Josué: Gostei da sua entrada em campo. Nem sempre é o mais esclarecido e tem de controlar o seu ímpeto, mas penso que com o tempo vai melhorar e subir de rendimento. Muito bom o penalti aos 95m;
Ghilas: Sofreu o penalti, o que por si só foi positivo. Falta algum poder de explosão e alguma espontâneidade no momento do remate;
Quintero: As características do jogo não se enquadravam na sua forma de jogar, uma vez que o FC Porto optou por jogar muitas vezes directo para os avançados, fazendo com que a bola passasse menos na sua zona de acção. Não teve oportunidades de se destacar, portanto.

Em conclusão, objectivo alcançado, primeiro lugar no grupo e SCP pelo caminho. A exibição foi fraquinha, salvou-se a coragem e ambição de Paulo Fonseca e dos jogadores, porque em termos de jogo jogado, os dragões ficaram muito aquém daquilo que podem e sabem fazer. Nos Barreiros tenho a certeza que seremos fortemente castigados se não subirmos de rendimento. Que este chouriço monumental embale a equipa para melhores exibicoes, o que certamente nao sera nada dificil!!

P.S.: Sobre a saída de Lucho, da qual discordo veementemente, falarei amanhã.

P.S. 2: Sobre a alegada farsa no apuramento do FC Porto, deixo aqui dois links:

 - o segundo para os que têm coragem de dizer que o penalti do Ghilas foi mal assinalado, para se lembrarem que houve outro clarinho que nem assinalado foi (vale o que vale, mas o tribunal d'O Jogo é unânime em ambos):

video



Sem comentários:

Enviar um comentário