Azul e Branco

Azul e Branco

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O mês das grandes decisões

Começa este sábado frente ao Marítimo aquele que para mim é o ciclo de jogos que vai definir a época do FC Porto. Até ao final de Fevereiro, os dragões vão estar envolvidos nas quatros competições que ainda disputam, jogando cartadas absolutamente decisivas em todas elas. Se em relação às taças não há meio termo e a participação do clube nas mesmas termina ao primeiro passo em falso, no que diz respeito ao campeonato, eventuais deslizes poderão ainda ser recuperados, embora eu não acredite que tenhamos capacidade de o fazer, caso os próximos jogos nos tragam amargos de boca.

Comecemos então pela Taça da Liga, competição habitualmente menosprezada, apesar de mesmo assim o FC Porto ter alcançado a final na última edição. O jogo deste fim de semana é jogado num contexto especial, já que será o primeiro teste de grau de dificuldade relevante depois da entrevista de Pinto da Costa ao Porto Canal e que foi encarada por muitos portistas como um possível ponto de viragem na época dos dragões. Não existe qualquer margem de erro, e apesar do Marítimo estar virtualmente afastado do apuramento para as meias finais, não se esperam grandes facilidades por parte dos insulares, atendendo ao histórico de desentendimentos entre as direcções de ambos os clubes. A equipa da casa está obrigada a alcançar, pelo menos, o mesmo resultado que o SCP conseguir em Penafiel, pelo que possivelmente irá ver-se obrigada a vencer por mais do que um golo de diferença. Os dragões quererão dar uma resposta firme a todos aqueles que os dão como acabados e têm a oportunidade de afastar os leões de um dos seus grandes objectivos da época. Espero um FC Porto na máxima força, com a presença de grande parte dos habituais titulares e perspectivo apenas a entrada de Fabiano em relação ao onze que defrontou o Setúbal. A ver vamos se não estou redondamente enganado e Paulo Fonseca surpreende e lança jogadores pouco utilizados. O primeiro lugar no grupo dá direito a receber o Benfica no Dragão nas meias finais e espero que os jogadores já estejam com vontade de vingar a derrota na Luz para o campeonato. 

Em relação à Taça de Portugal, e apesar dos muito falados sorteios encomendados pelos Dragões, a verdade é que a fava saiu ao FC Porto, enquanto o Benfica foi presenteado com uma das duas equipas da segunda liga constantes do sorteio, beneficiando, ainda, de jogar o embate decisivo das meias finais em casa, caso a equipa consiga o apuramento. Se nos lembrarmos das vicissitudes do sorteio, não podemos deixar de rir quando ouvimos acusações de sorteios falseados... O adversário dos dragões é o Estoril Praia: uma equipa superiormente comandada por Marco Silva e aquela que melhor joga não contando com os 3 grandes. Irá certamente exigir o melhor FC Porto, sendo que o apuramento dará direito, muito provavelmente, à disputa das meias finais com o Benfica. O jogo é já na quarta feira dia 5 de Fevereiro, poucos dias depois da difícil deslocação aos Barreiros para o campeonato.

Em finais de Fevereiro o FC Porto irá iniciar a sua participação na Liga Europa. As recordações da última vez que o clube disputou a competição ainda estão bem vivas na memória dos seus adeptos e uma entrada com o pé direito na edição deste ano é a única opção que se admite. O sorteio foi simpático e uma eventual eliminação perante o Eintracht de Frankfurt será pouco menos que um escândalo. Exige-se uma demonstração de força na europa depois da vergonhosa prestação na Liga dos Campeões. Espero que Izmaylov e Fucile "saltem" da lista a enviar para a UEFA e que sejam inscritos Quaresma  e Carlos Eduardo nos seus lugares (se der para também inscrever o Kelvin, óptimo).

No que ao campeonato diz respeito, o FC Porto tem uma deslocação muito complicada aos Barreiros e irá ainda a Barcelos defrontar um Gil Vicente em péssima forma. Pelo meio, recebe no Dragão o aflito e inofensivo Paços de Ferreira. Os dragões não podem sequer pensar noutra coisa que não seja a conquista dos 9 pontos em disputa, os quais trarão a confiança e a motivação necessárias para encarar a parte final da época. Deslizes nestes três jogos serão fatais, até porque daqui a duas jornadas Benfica e Sporting defrontam-se no derby  lisboeta, e os dragões quererão aproveitar o deslize de um deles (ou de ambos).

O mês de Janeiro tem sido estranhamente calmo relativamente a eventuais entradas e saídas no plantel. Parece-me óbvio que Fucile e Izmaylov já não contam e que, com a entrada de Quaresma, dificilmente serão contratados mais jogadores. Quanto a saídas, Defour é o único que me parece poder abandonar o Dragão, o que eu espero sinceramente que não venha a acontecer, já que apenas o belga me parece ter qualidade para substituir Fernando ou Lucho no 11 inicial sem que se sinta uma grande diferença de valia. Penso que o plantel tem tido todas as condições para preparar os jogos que se avizinham (saiba Paulo Fonseca motivar os jogadores e ter consciência do clube que representa) e que temos tudo para dar a volta por cima nos próximos embates. Vamos a isso!








Sem comentários:

Enviar um comentário