Porto Bayern

Porto Bayern

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

UM SÓ CAMINHO: O DA VITÓRIA

Domingo está próximo e o clássico dos clássicos está quase a começar. Faltam 3 dias para começar o jogo que põe o País parado em frente ao ecrã mágico. Para os que como eu acompanham o nosso Clube por esse Mundo fora, é o jogo da época que mais nos dá prazer. Dois ou três mil adeptos de cachecol ao pescoço, gargantas afinadas como nunca, cantando bem alto o nome do nosso Clube pelas ruas daquela cidade, desde o inicio do cortejo na Pontinha, até ao minuto 92. Se há algo que nos dá prazer é sentir que estamos em território inimigo, hasteando bem alto a bandeira do Futebol Clube do Porto. E com jogo às 16h00, tudo se conjuga, pois, para um dia perfeito para os Nossos!

Quanto ao jogo em si, esse tem sido preparado, fora dos relvados, de uma forma pouco “normal”. O ambiente que se tem gerado tem sido de pouca (ou mesmo nenhuma) tensão, tanto por parte da comunicação social como por parte dos dirigentes de ambos os Clubes. Apesar de toda esta “nuvem” gerada pelo falecimento do jogador do clube de Carnide, quero acreditar que a mensagem tem sido passada internamente, na nossa fortaleza, no nosso balneário, da melhor forma possível: no Domingo só há um caminho, o da vitória !


Estamos praticamente na máxima força, não podendo apenas contar com (o claro suplente) Ghilas que sofreu uma contusão no joelho esquerdo (pela segunda vez na mesma semana). Podemos e devemos apresentar-nos no estádio do adversário com a melhor equipa possível, e no esquema que tem, ano após ano, vergado o treinador e equipa adversários. Entre o dia 02/05/2010 (vitória por 3-1 no Estádio do Dragão ) e o dia K92 em Maio do ano passado, já lá vão 5 vitórias para o Futebol Clube do Porto e 2 empates, em jogos da I Liga.


Para qualquer treinador do FCPorto, principalmente para um estreante, este é “O” teste de fogo: é naquele relvado que Paulo Fonseca tem tudo para defrontar, olhos nos olhos, sem medo e pondo em sentido o nosso rival. É a altura do nosso treinador pôr a nossa equipa a jogar à Porto, ganhando (e bem!) três pontos que terão um efeito emocional flamejante. São estes os jogos que podem mudar o destino tanto de uma equipa como de uma época ! Acredito (quero acreditar) que ele estará à altura da dimensão da partida, escolhendo os melhores guerreiros para a próxima batalha !


A equipa não andará pois, muito longe da escolhida no último jogo para o campeonato. Se Helton tem lugar garantido na baliza, na defesa, e tendo em conta que estamos na segunda melhor fase defensiva desde o início da época (339 minutos sem sofrer golos), parece-me lógico utilizar os 4 que têm jogado com maior acerto e qualidade:Alex Sandro (recuperado) como defesa-esquerdo, Danilo na lateral contrária, e como dupla de centrais Mangala e Maicon. Por um destes dois poderá passar a decisão do clássico, visto que o FCPorto tem sido fortíssimo na forma como tem aproveitado as bolas paradas nos clássicos (Mangala marcou nas duas ultimas deslocações a este estádio).


O meio-campo será a chave do clássico. Precisamos de ser rápidos na recuperação da bola e transmitir uma sensação de força, qualidade e objectividade quando tal acontece. Tudo vai depender da capacidade de trabalho tanto dos recuperadores, como do jogador que assumir a posse do esférico. PF resolveu finalmente a questão do (não) duplo-pivôt, tendo percebido que esta situação retirava ao Polvo protagonismo, tanto na saída de bola, como na amplitude progressiva de movimentos. Tendo reencontrado o seu “habitat” natural, observo uma clara melhoria de jogo, tanto nos equilíbrios como nas dinâmicas de jogo.

Esta alteração resultou da entrada de um jogador para a posição de nº10, encaixando outra peça no lugar certo. Observamos de certa forma, nas ultimas partidas, uma “reciclagem” do nosso Capitão: recuou no terreno, passando a jogar de frente para o jogo como tanto gosta. Desta forma, ficou a mais metros da baliza adversária (às vezes parecia ponta-de-lança), mas muito mais perto do jogo em si.


A posição de médio-ofensivo, foi então entregue a Carlos Eduardo, jogador (craque) que não engana. E foi a sua entrada na equipa que permitiu a tal mudança táctica no nosso meio-campo: o brasileiro não preenche apenas os espaços à frente de Lucho, mas pisa igualmente outros terrenos de jogo, procurando bola tanto em zonas mais recuadas, como em zonas laterais. Carlos Eduardo procura a sua equipa antes de olhar nos olhos o seu adversário, conseguindo ser desta forma algo que se exige aos médios de maior qualidade: é um grande trabalhador sem bola e um talento na explosão, criatividade e ruptura na posse da mesma. Não esquecendo obviamente a sua enormíssima qualidade a cobrar cantos e livres, algo que pura e simplesmente tinha desaparecido desde a saída dos “batedores” João Moutinho e James Rodriguez.

Quanto ao ataque, esse tem para mim os três lugares reservados para este jogo: Varela e Jackson serão na minha opinião sempre ou quase sempre titulares, sendo que a ala contrária será entregue (provisoriamente) a Licá. Apesar de, na minha opinião, não ter qualidade suficiente para ser titular numa equipa do nosso calibre, creio não existir outra hipótese para esta partida. É um trabalhador incansável, com muita qualidade táctica, ajudando desta forma a equilibrar tanto o meio-campo como as alas. Aliado, claro, ao facto de Ricardo Quaresma ainda não apresentar os índices físicos e competitivos necessários, e Kelvin não ter maturidade e músculo para uma batalha desta envergadura.

Este é, de facto, um jogo muito muito apetecível para o FCPorto, e acredito que temos tudo para triunfar novamente: o nosso adversário está claramente obrigado a ganhar, principalmente fruto da morte do seu maior símbolo, aliado ao facto de jogar no seu terreno de jogo. Apresentando-nos com a maturidade e a experiência que nos caracterizam nestas partidas, creio que estão criadas todas as condições para destabilizarmos psicologicamente a equipa e a massa associativa oponentes, entrando pressionantes, categóricos e perigosos. Marcando um golo cedo, confio que o jogo se resolverá rapidamente, agarrando mais três pontos rumo ao desejado Tetra Campeonato.


Apenas vejo um caminho: O DA VITÓRIA !!

Texto da autoria de Afonso "Zé do Boné" Salcedo

2 comentários:

  1. Tiago

    gostei do lifting :D

    ps:
    por curiosidade, o Afonso é o mesmo blogger que dirigiu, em tempos, o "zé do boné"?

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  2. Miguel,

    O lifting estava na minha agenda há algum tempo, finalmente arranjei tempo e vontade para o fazer ainda. Espero mesmo que o "aspecto" do site esteja melhor.

    O Afonso não é esse blogger de que falas. É um amigo meu, incansável adepto do Porto. Vai a quase todos os jogos da equipa e faz-se acompanhar de uma boina à Pedroto!

    Um abraço

    ResponderEliminar