Porto Bayern

Porto Bayern

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

FC Porto 0 - 1 Estoril: Crónica de um desastre mais do que anunciado

Vi o jogo em Lisboa e pouco depois fiz-me à estrada em direcção ao Porto. Foram quase 3 horas de pensamentos antagónicos a passarem-me pela cabeça, 3 horas de azia desconfortável, 3 horas de revolta com o estado a que chegou o FC Porto. No final da viagem, sobrava apenas resignação. Afinal, esta derrota não constituiu surpresa nenhuma e como venho referindo desde a criação deste estaminé, o treinador da nossa equipa é o maior erro de casting de sempre do NGP (Octávio Machado foi despedido a 7 pontos de distância do primeiro, mas ao menos conseguiu o apuramento na Champions e tinha um plantel que metia medo só de pensar!) e só não viu que isto ia acontecer mais cedo ou mais tarde, quem não quis. O SLB provavelmente ganhará hoje e aumentará a vantagem para 7 pontos e meio, sendo que ainda vamos a Alvalade, Choupana, Guimarães e Braga...

Cheguei a casa e abri o computador na certeza de que ia ler notícias sobre o despedimento de Paulo Fonseca, já que este na flash interview tinha deixado claro que ia pôr o seu lugar à disposição. Estava redondamente enganado. Ao que parece, o NGP optou por manter o treinador, naquela que é uma decisão absolutamente incompreensível e lamentável. Neste momento, não tenho dúvidas que a culpa já não é só de Paulo Fonseca. Agora é também de quem teimosamente o pretende manter.

Vamos penar até ao fim da época, caso Paulo Fonseca continue ao leme do clube. Até podemos ganhar na Alemanha, mas isso apenas adiará os desastres iminentes. Temos uma oportunidade de dar um murro na mesa e tentar alterar o estado lastimável em que nos encontramos, mas parece que vamos optar por uma grande máxima de João Pinto: estamos à beira do precipício, mas vamos tomar a decisão certa, vamos dar um passo em frente. 

Desde Novembro que afirmo que é vital trocar de treinador. Não gosto de ter razão nestes casos (ao fim dos primeiros seis meses de VP percebi alegremente que estava errado e deixei de pedir a sua saída), mas o tempo tem me dado razão e vai continuar a dar. 

Não tenho dúvidas que manter Paulo Fonseca nesta situações significa atirar a toalha ao chão, ao contrário de quem defende que despedi-lo é o mesmo que dizer aos adversários que já não acreditamos nesta época. Estou convencido que aceitar o pedido de demissão significaria um murro na mesa, um sinal de que queremos mudar o que está mal para tentar alcançar pelo menos parte dos nossos objectivos para 2013-2014. Estou convencido que trocar de treinador tiraria toda a pressão que neste momento está sobre os jogadores. Estou convencido que colocar alguém que saiba o que é ser Porto até ao final da época traria esperança aos adeptos. Precisamos de alguém que definitivamente desista da maior aberração táctica dos últimos anos que é a insistência no duplo pivot a meio campo. Precisamos de sentir que nem tudo está perdido. Jogadores jovens como Reyes, Herrera, Quintero, Ghilas, Ricardo, Alex Sandro, Danilo, Mangala, Abdoulaye, Josué, Kelvin, etc precisam de alguém que os faça crescer e que lhes mostra como fazer. Trocar de treinador é SER PORTO! ACORDA PORTO!!!

Quanto ao jogo em si, não vou tecer grandes comentários. Não foi dos nossos piores jogos da época, o que é demonstrativo da falta de qualidade que se viu em muitos jogos desde que Paulo Fonseca assumiu o comando dos dragões. Não merecíamos perder, mas também não merecíamos ganhar. Perdemos hoje como poderíamos ter perdido para a Taça de Portugal com o mesmo adversário ou com o Marítimo para a Taça da Liga ou empatado com o Paços de Ferreira para o campeonato. O penalti é bem assinalado e a expulsão aceita-se. Nada a dizer, portanto, a não ser perguntar quantas oportunidades claras de golo tivemos? Uma do Quaresma e meia do Varela?

Pela positiva, até gostei do jogo de Abdoulaye e de Fernando. Pela negativa, quase todos, com especial destaque para Jackson e Alex Sandro.

Para finalizar, um dado retirado do Reflexão Portista:

"Da época passada para esta, o treinador do Estoril viu sair Steven Vitória, Jefferson, Carlos Eduardo e Licá. Já esta época, no período de transferências de Janeiro, ficou sem Luís Leal (que era o melhor marcador da equipa) e, para o jogo no Dragão, também não pôde contar com Gonçalo Santos e Sebá (devido a lesões). Só de pensar que houve, entre os adeptos portistas, quem usasse a saída de UM jogador - João Moutinho - como justificação para os maus desempenhos desta época…"




3 comentários:

  1. Não culpem o Fonseca que é o menos culpado. É mais vitima do que culpado. A culpa toda é de quem dirige o clube e por isso não o despede porque sabe muito bem que o PF não tem culpa nenhum. Pensa que a história se irá repetir mas desta vez irá repetir-se mas como tragédia.

    ResponderEliminar
  2. A partir do momento em que o presidente decide não demitir o treinador, o próprio presidente assume toda a responsabilidade sobre o que possa acontecer até o fim da época, simples como isso.

    Já teve 2 chances de o fazer, não o fez, e penso que o próprio Paulo Fonseca já deve estar morto por ser despedido, portanto já não vale a pena bater mais no ceguinho, ou melhor, no "confiança cega".

    E vendo estes jogadores, "mininos" mimados cheios da pasta, com tatuagens e penteados esquisitos, pagos regiamente unica e exclusivamente para fazer o que mais gostam, alguém devia mostrar-lhes ESTE EXEMPLO que podem ver e ler no link abaixo no meu blog

    http://pelethebest.blogspot.pt/2014/01/o-rei-sylvester-stallone-e-fuga-para.html

    para ver se eles tomam um mínimo de vergonha na cara, e vejam com os próprios olhos que apesar DESTA EQUIPA ter LITERALMENTE TUDO CONTRA, jogou pela HONRA, PELA CAMISOLA, PELO ORGULHO!!!

    ResponderEliminar

  3. «largos dias têm cem anos»

    certamente que iremos recordar estes momentos, no Futuro. e certamente que estaremos ainda mais fortes, nesse Futuro.

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    abr@ços
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar