Porto Bayern

Porto Bayern

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Marítimo 1-0 FC Porto: Um barco à deriva

Escrevo apenas agora sobre mais um desastre (anunciado) desportivo do FC Porto, porque honestamente a motivação para comentar os jogos dos dragões é tão grande como a qualidade de jogo apresentada pelos (des)comandados de Paulo Fonseca: nenhuma, portanto. Foi triste assistir a mais um espectáculo deprimente este fim de semana e constatar, mais uma vez, que com este treinador afinal é sempre possível fazer pior do que no jogo anterior e perceber que infelizmente ainda não batemos no fundo. Quer dizer, se calhar até já batemos no fundo e Paulo Fonseca aí chegado, optou por pegar numa pá e começar a cavar.


O Marítimo, com Heldon já transferido para o Sporting, com Sami e Ruben Ferreira no banco, com Salin e Fransérgio com pouco mais de uma semana de treinos e com alguns jogadores que iniciaram a época na equipa B, venceu, justamente, por 1-0. Podem dizer que o que bem entenderem, podem dizer que há jogadores do FC Porto que não têm qualidade para representar o tri campeão nacional, que o Defour é mau e que o Josué só joga por ter feito parte dos super dragões, que o Varela não vale nada...mas ninguém me vai convencer que os nossos jogadores (jogadores, não equipa, porque isso não temos) não têm qualidade mais que suficiente para vencer os Marítimos, Académicas, Nacionais e Belenenses desta vida, porque isso é absolutamente falso. Ninguém espera um futebol de sonho ao nível do Bayern, City ou Barcelona, mas de certeza que também não se pode contentar com o que tem visto.


Dos onze jogadores que alinharam de início contra os insulares, tínhamos:
- Helton (internacional A pelo Brasil, venceu 1 copa américa, 1 liga europa, 7 campeonatos portugueses, 4 taças de portugal e 6 supertaças)
- Danilo (Internacional A pelo Brasil, 1 campeonato do mundo sub 20, vice campeão olímpico, 1 libertadores, 2 campeonatos portugueses)
- Mangala (Internacional A pela França,  2 campeonatos portugueses, 3 supertaças, 1 campeonato belga, 1 taça belga)
- Maicon (1 liga europa, 3 campeonatos portugueses, 2 taças de portugal e 5 supertaças)
- Alex Sandro (Internacional A pelo Brasil, 1 campeonato do mundo sub 20, vice campeão olímpico, 1 libertadores, 2 campeonatos portugueses,  2 supertaças portuguesas)
- Defour (Internacional A pela Bélgica, 2 campeonatos portugueses, 3 supertaças, 2 campeonatos belgas, 2 taças belgas)
- Josué (Internacional A por Portugal)
- Carlos Eduardo
- Varela (Internacional A por Portugal, 1 liga europa, 3 campeonatos portugueses, 2 taças de portugal e 5 supertaças)
- Jackson ( Internacional A pela Colombia, 2 campeonatos, 3 supertaças, 1 liga da colombia)
- Quaresma (Internacional A por Portugal, 1 Intercontinental, 1 liga dos campeões, 4 campeonatos portugueses, 2 taças de portugal, 3 supertaças, 2 ligas italianas, 1 taça de inglaterra).

Mas alguém tem dúvidas que com este onze qualquer treinador minimamente competente não teria dificuldades em preparar uma equipa capaz de jogar futebol? O plantel não é o melhor de sempre, mas chega e sobre para sermos muito melhores do 90% das equipas da nossa liga. Falta é um treinador que coloque estes jogadores a jogar de uma forma que potencie as suas qualidades e esconda os seus defeitos. 7 meses depois do início da época, não há nada que se aproveite, a não ser o facto de apenas estarmos a quatro pontos da liderança, já que Benfica e Sporting também não são muito melhores. 


É necessário mudar já de treinador. Agora! Pior não pode ficar, portanto arriscamo-nos somente a que a situação melhore. Na pior das hipóteses, ficamos iguais, isto é, ficamos uma vergonha. Quarta jogamos com o Estoril e se nada for feito até lá, arriscamo-nos a ouvir no final do jogo alguma coisa como: "O Estoril é uma grande equipa. Nós jogámos à Porto, mas a relva não estava em condições. Entrámos com muitas cautelas, mas eles foram mais eficazes. É pena sairmos da taça, mas eles são os principais candidatos à vitória final. O Ghilas apenas entrou aos 85m porque estava a gostar daquilo que estava a ver e achei que era melhor não forçar muito o ataque".

P.S.: Após a entrevista de Pinto da Costa, afirmei que ia tentar não bater muito no treinador. Infelizmente, só aguentei três semanas. É impossível ficar calado depois das duas exibições que fizemos contra um Marítimo remendado que não ganhava um jogo há dois meses. Principalmente com as declarações no final dos jogos. Obrigado Mister, mas boa viagem. Só não vê, quem não quer. E vamos agradecer aos Benfica e Sporting ainda estarmos ligados às máquinas no campeonato...

P.S. 2: Este FC Porto está ao nível do FC Porto de Octávio Machado. À 17.ª jornada, o agricultor estava, também, em 3º a 4 pontos do primeiro. Esse incompetente tinha, ainda, sido apurado no grupo da Champions League, contra Juventus, Celtic e Rosenborg, um grupo que nada ficava a dever ao grupo deste ano. Sintomático, não?





1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar