Porto Bayern

Porto Bayern

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Antevisão FC Porto Académica e Vídeo da Semana

O FC Porto recebe amanhã às 20h45 a equipa da Académica de Coimbra para a quarta jornada do seu grupo da Taça da Liga. Na ressaca de uma derrota comprometedora na Madeira, os azuis e brancos querem carimbar a passagem às meias finais da competição para assim voltarem a defrontar os insulares no seu terreno. Os Dragões ocupam o primeiro lugar do grupo e sabem que o empate os coloca com pé e meio na fase seguinte da prova, mas tentarão, certamente, voltar às boas exibições e começar a esquecer o descalabro do fim de semana que passou. A Académica sabe que apenas a vitória permite sonhar com o primeiro lugar, o que, à partida, abre boas perspectivas para assistirmos a um jogo animado.
Lopetegui ensaiou nova revolução na convocatória e deixou de fora do encontro de amanhã quatro jogadores que entraram de início frente ao Marítimo: Fabiano, Alex Sandro, Casemiro e Maicon. Para os seus lugares, destaque para os regressos de Evandro e Reyes e para a convocatória do guarda redes Ricardo Nunes. Honestamente, fiquei um pouco desiludido com a convocatória escolhida. As ausências dos referidos jogadores indicia que no fim de semana estarão de volta à equipa titular e penso que nesta altura tal não se justifica.




À semelhança do que tem acontecido nos jogos desta competição, perspectivar um onze inicial é uma tarefa hercúlea, mas aqui fica o palpite da gerência do estaminé: Helton, Ricardo Pereira, Reyes, Marcano, Jose Angel, Campaña, Evandro, Rúben Neves, Quintero, Tello e Gonçalo Paciência.






Relativamente ao vídeo da semana, e precisamente porque o FC Porto recebe amanhã a Académica, a escolha recaiu sobre um jogo entre dragões e estudantes relativo à época 98/99, o ano do penta. Uma vez que não é o primeiro vídeo publicado relativo a esta época, não me irei alongar nos comentários ao plantel de luxo que o FC Porto tinha nessa altura, nem tão pouco irei contextualizar em excesso a escolha.
video
Apenas direi que o encontro era relativo à 32ª jornada do campeonato e que uma vitória dos azuis e brancos selava quase em definitivo a conquista do inesquecível e inigualável penta campeonato. No entanto, caso os despromovidos estudantes conseguissem causar uma surpresa daquelas em que o futebol é pródigo, o Boavista poderia encurtar distâncias e colocar-se a 2 ou 3 pontos do FC Porto (partia para essa jornada com uma desvantagem de 5 pontos para os dragões mas em caso de empate no final do campeonato seriam os axadrezados os campeões fruto da vitória no Estádio das Antas), sendo que a 33ª jornada tinha como cabeça de cartaz o clássico Sporting - FC Porto.

Não havia, assim, qualquer margem de erro e a vitória era o único resultado aceitável. Contudo, cedo o FC Porto mostrou ao que vinha e rapidamente demonstrou toda a sua força e qualidade, brindando os adeptos presentes no mítico Estádio das Antas com uma goleada das antigas e com uma exibição de gala. O resultado ao intervalo (2 - 0) pecava claramente por escasso. Os golos, esses estavam maioritariamente guardados para a etapa complementar. Aos dois golos de Mário Jardel na primeira parte, juntaram-se mais cinco golos dos azuis e brancos (Esquerdinha, Zahovic, Jorge Costa, Chainho e novamente Jardel) e, também, o golo de honra dos estudantes, uma bomba ao ângulo da baliza de Vítor Baía.
O resultado final de 7-1 espelhou perfeitamente o que se passou no relvado e é elucidativo daquilo que o FC Porto conseguia fazer nessa época. O título estava agora a um triunfo de distância e Alvalade emergia como o provável salão de festas dos adeptos portistas, o que se viria a confirmar, já que tanto o Boavista como o FC Porto não foram além de um empate na 33ª jornada.


PS: Paulo Fonseca e o seu Paços de Ferreira alcançaram ontem uma importantíssima vitória frente ao Benfica. Depois de todo o mal que fez ao FC Porto na época passada, o treinador dos pacenses resolveu dar uma grande mãozinha aos Dragões, ajudando a manter vivo o sonho do título. Esperemos que não estrague tudo para a semana. Por falar nisso, tudo a torcer pelo Senegal hoje...




PS 2: Bruno Calabote Paixão bem tentou, mas não conseguiu carregar o Benfica ao colo. Assinalou um penalti forçadíssimo a favor dos encarnados, fingiu que não viu uma carga de Luisão sobre Cícero na área do Benfica e deu quase 8 minutos de tempo de compensação. Só não conseguiu ignorar as indicações do árbitro auxiliar e lá foi obrigado a assinalar o penalti evidente de Eliseu perto do minuto 90...


Sem comentários:

Enviar um comentário