Porto Bayern

Porto Bayern

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Desafios e Dilemas de Janeiro

O FC Porto entrou em 2015 com vontade de dar alegrias aos seus adeptos e com a intenção de não repetir os erros que levaram a que 2014 tenha sido o pior ano a nível desportivo desde que a gerência deste estaminé acompanha o futebol. Terá de ser um ano muito diferente em vários aspectos para que os resultados de 2014 não se repitam e para isso é importante não esquecer tudo o que aconteceu nesses 365 dias, mas sim tê-los bem presentes na memória.

No entanto, e sendo óbvio que compete aos Dragões alterar o que vai mal na sua própria casa, há coisas que dificilmente alguma vez mudarão e relativamente às quais pouco poderemos fazer. O novo ano conta apenas 5 dias e já é possível perceber que os rivais da 2ª Circular não elaboraram quaisquer listas com resoluções e promessas que alterem a sua forma de ser e estar no futebol. 

Do lado do SCP, Bruno de Carvalho continuará a alimentar as mais rebuscadas teorias da conspiração, que mais não são do que fruto da sua própria imaginação, para tentar desviar as atenções sempre que surgirem resultados comprometedores. Exemplo claro desta situação foi a novela criada pelo presidente do SCP em torno da continuidade de Marco Silva e a convocação de uma Assembleia Geral para o mês de Janeiro, tentando culpar a comunicação social por uma crise que ele próprio despoletou e ajudou a alimentar. Ainda no que diz respeito a esta crise, é curioso observar a forma como o SCP e os seus orgãos sociais actuam depois de ter sido decretado um blackout. Já perdi a conta ao número de declarações proferidas desde então!

Outra coisa que dificilmente mudará para os lados de Alvalade é a forma como se encara a verdade desportiva e a pseudo cruzada pelo bem do futebol. A rábula da expulsão de Nani contra o Estoril é apenas mais um dos inúmeros exemplos da velha máxima "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço" que os sportinguistas utilizam recorrentemente. Mas enquanto não houver ninguém na comunicação social que os confronte e que, pelo menos, noticie que um jogador "que assuma conduta antes, durante ou depois de um jogo, com o intuito de lhe ser mostrado propositadamente cartão amarelo ou vermelho pelo árbitro, é sancionado com sanção de suspensão de 2 jogos", nada irá mudar (ver - número 7, do artigo 146º do Regulamente Disciplinar da FPF).

Já do lado do SLB, e depois de ter sido um campeão justíssimo em 2013-2014, o jogo de ontem em Penafiel confirmou a tendência dos primeiros meses da época de 2014-2015: em caso de dúvida, sempre a favor do Benfica (se até o anti portista do Rui Santos elabora uma classificação destas...). Os árbitros auxiliares continuam a não hesitar em levantar a bandeirola sempre que os adversários surgem em posições de finalizar e o árbitros principais continuam rápidos a mostrar cartões aos oponentes e a poupar os jogadores do Benfica. A título de curiosidade, ontem tivemos mais um golo (bem) anulado e mais uma expulsão (a oitava em quinze jogos) de um adversário numa falta no ataque junto à linha lateral. Com um critério destes, o Benfica no Dragão teria acabado com 8 ou 9 jogadores...

Ainda assim, e depois de ver mais uma exibição sofrível dos encarnados, continuo a acreditar que, se o FC Porto fizer o seu trabalho, no final do mês de Janeiro estará muito próximo do primeiro lugar. Gaitan, Jonas e os árbitros não vão conseguir continuar a disfarçar a evidente falta de qualidade da maioria dos restantes companheiros de equipa e os tropeções vão acontecer.


Quanto ao FC Porto, vai ser interessante perceber como é que a equipa reagirá à ida de Brahimi para a CAN. O argelino irá falhar garantidamente a recepção ao Belenenses e as deslocações aos Barreiros e a Penafiel, estando ainda em risco a recepção ao Paços de Ferreira (não referi os jogos da Taça da Liga porque não penso que jogasse mesmo que cá estivesse). Acredito que o maior problema residirá na viagem à Madeira, uma vez que os restantes jogos são de nível de dificuldade mais reduzido. De qualquer forma, soluções não faltam no plantel desta época e suspeito que o Ricardo Pereira poderá aproveitar esta oportunidade para somar minutos.


Por fim, Janeiro traz também a reabertura do mercado de transferências, o qual está anormalmente calmo. Quase não há notícias de entradas e saídas de jogadores e, por mim, assim devia continuar até ao seu fecho. Nem a habitual rábula sobre o regresso de Anderson aos Dragões apareceu na comunicação social, o que é demonstrativo do marasmo que se vive nas redacções dos jornais desportivos! Penso que o FCP devia aproveitar para colocar um ou outro jogador a rodar (Kelvin, Opare ou Reyes) e dava-se o período de transferências por concluído. E só abriria uma excepção para contratar o melhor central que vi vestir de azul e branco, mas não me parece que seja possível que ele regresse de França...



PS: O pai natal disse me que acabar com o colinho do Benfica não era possível, por isso lá tive de me contentar com o unicórnio.,.





Sem comentários:

Enviar um comentário