Porto Bayern

Porto Bayern

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Moreirense 0 - 2 FC Porto: Vitória fundamental em jornada de grandes decisões


O FC Porto deslocou-se esta noite a Moreira de Cónegos para defrontar o Moreirense em jogo a contar para a 20ª jornada da Primeira Liga e trouxe para a Cidade Invicta um justo e merecido triunfo por duas bolas a zero. Numa jornada em que apenas um resultado interessava aos azuis e brancos (como quase sempre, refira-se), os comandados de Lopetegui foram competentes e aplicaram-se a fundo para não dar quaisquer hipóteses à bem organizada e complicada equipa verde e branca. Se por um lado é verdade que a equipa orientada por Miguel Leal é, em termos de qualidade individual dos seus jogadores, bastante inferior àquela que iniciou o campeonato e infinitamente mais fraca que a equipa portista, por outro lado é, também, verdade que as surpresas acontecem frequentemente no futebol e que nada é garantido (veja-se o exemplo do derbi de Madrid!). Com o triunfo alcançado, o FC Porto pressiona os rivais lisboetas em fim de semana de embate entre Sporting e Benfica. Irá o Benfica aguentar a pressão? Será necessário mais um pouco de colinho para impedir a aproximação de FC Porto e Sporting? Ou irão as águias subjugar os leões, afastando-os definitivamente da luta pelo título e mantendo uma distância confortável para os dragões? Resposta a estas perguntas amanhã à noite, sendo certo que o FC Porto ganhará pontos a pelo menos um dos adversários, podendo até ganhar pontos a ambos.

Relativamente ao jogo jogado, Lopetegui fez entrar a equipa que tão boa conta do recado tinha dado no fim de semana passado frente ao Paços de Ferreira. Martins Indi e Brahimi iniciaram, assim, o jogo no banco, onde tiveram a companhia de Quintero, Helton, Evandro, Aboubakar e Rúben Neves. Um banco de luxo, repleto de jogadores que vão ser, certamente, postos à prova nos próximos 30 dias (Guimarães, Basileia, Boavista, Sporting, Braga, Basileia). Os dragões entraram fortes e mostraram que queriam inaugurar o marcador com rapidez. Quaresma, Tello e Maicon (muitas dúvidas no lance em que o brasileiro surge cara a cara com o guarda redes Marafona) podiam ter aberto a contagem, mas o golo 5000 do FC Porto em jogos do campeonato estava reservado para o suspeito do costume. À passagem do minuto 29, Herrera descobre Jackson Martinez com um passe espectacular por cima da defesa contrária e o colombiano não perdoou, rematando de pé esquerdo para fora do alcance do guarda redes e defesas adversários.

Até ao intervalo os dragões baixaram muito o ritmo de jogo e o Moreirense aproveitou para tentar chegar perto da baliza de Fabiano, mas sem criar nenhuma verdadeira situação de golo iminente. Na segunda parte, o FC Porto voltou a entrar forte na tentativa de resolver o jogo assim que possível. Tello teve o golo nos pés, mas o seu remate passou rente ao poste. Os azuis e brancos carregavam e sentia-se que o segundo golo era uma questão de tempo. E assim foi. Herrera com mais uma fantástica assistência descobriu Casemiro solto ao segundo poste e o brasileiro não se fez rogado e empurrou com classe para o fundo das redes. Golo merecido do trinco do FC Porto, naquela que foi uma das suas melhores exibições de dragão ao peito.

A vitória já dificilmente fugiria e os jogadores portistas optaram por controlar o jogo até final. No entanto, houve ainda tempo e hipótese para aumentar a diferença no marcador, mas Tello assim não o quis. Nota negativa para o extremo que foi muito egoísta num lance de contra ataque, preferindo tentar fazer tudo sozinho quando tinha companheiros em óptima posição para finalizar facilmente. Um lance tirado a papel químico do lance no final do jogo em Alvalade...

Em termos individuais, nota bastante positiva para a dupla de centrais. Marcano no seu registo duro e simples e Maicon a fazer (finalmente) uma exibição sólida e sem provocar calafrios aos adeptos. Jackson e Oliver já se percebeu que não sabem jogar mal e a sua bitola é sempre alta. A principal surpresa para mim foi a performance de Casemiro. Já se tinham notado melhorias contra o Paços de Ferreira e ontem o brasileiro confirmou que está em muito melhor forma do que a apresentada no mês de Janeiro. Menos faltoso, mais solto e com muito melhor qualidade de passe (mais vertical e com muito menos tentativas de virar o jogo por alto). MVP!

Pela negativa, realce apenas para o individualismo de Tello e para algum desacerto de Quaresma na hora de centrar ou rematar à baliza. Nada de preocupante no caso de Quaresma, ao contrário do que sucede com o espanhol. Esperemos que Lopetegui tenha puxado umas orelhas no final do jogo.
Agora é hora de descansar (sexta feira há mais) e relaxar no sofá (no sofá não, que amanhã vou a Alvalade observar os nossos rivais) a ver o derbi. Podia ser como Lopetegui queria, mas não é possível. Que perca o Benfica, então!



Sem comentários:

Enviar um comentário