Porto Bayern

Porto Bayern

terça-feira, 21 de abril de 2015

Crónica de antevisão ao Bayern - FC Porto: É HOJE!

É hoje!



É hoje que o Futebol Clube do Porto joga em Munique. O ontem já lá foi e da brilhante vitória na quarta-feira passada fica apenas a vantagem relativa.

A confiança no Reino do Dragão está no seu nível mais elevado desde a temporada 2010/11, e prova disso foi a despedida apoteótica, com centenas de Portistas a dirigirem-se ao aeroporto para dizer "presente!".

Alheio a toda essa azáfama Julen Lopetegui tem no entanto um grave problema para resolver: a ausência dos habituais titulares nas laterais!
E, na minha opinião, vai ser aqui que residirá a chave dos 90 minutos que nos esperam no Arena de Munique. Julen poderia ceder à tentação de apenas defender o resultado, numa cópia das meias finais de 2010 que opuseram o Inter de Mourinho ao Barcelona de Guardiola, mas isso seria trair não só os seus princípios como também os do Futebol Clube do Porto. Sobretudo deste Futebol Clube do Porto que permanece invicto na Europa nas vésperas da segunda mão dos Quartos de Final.
Apesar de sair de peito aberto no Arena não ser estratégia que costume resultar, o Borussia Mönchengladbach mostrou há quase um mês exacto (22.03) que a este Bayern também se pode ganhar em casa.
Esse jogo deve ter sido estudado pela equipa técnica do Porto algumas vezes e espero venha a servir de inspiração, acima de tudo porque acredito que a vitória em Munique não só é possível como preparar o jogo para a conseguir será a única forma de passar a eliminatória.

Fabiano na baliza com Maicon e Marcano à frente dele será o mais normal, mas não é certo, já cá voltaremos. No meio campo Casemiro, Herrera e Oliver devem voltar a servir Brahimi, Quaresma e Jackson e os 6 oferecem a garantia de meter o Bayern em sentido a partir do 1o minuto.



Voltando à defesa. Atendendo a que a ida de Indi para a esquerda é praticamente certa a grande incógnita está no lado direito. Existem 3 possibilidades e todas elas promoveriam uma adaptação: 

1) Ricardo fez a formação como extremo e, apesar dos progressos, ainda anda longe de poder ser considerado um lateral que ofereça garantias (defensivas) na Europa.
2) Maicon, que no passado já fez essa posição e a meu ver seria a melhor opção, desfalcaria o centro no entanto.
3) Reyes, que não tem rotinas nessa posição mas pode oferecer uma segurança no jogo aéreo que Ricardo não tem. E o jogo aéreo do Bayern vai ser uma das armas que Pep Guardiola vai usar certamente.
Acho que Julen vai apostar em Reyes para titular, mantendo Ricardo no banco, mas hoje mais tarde saberemos!

Aconteça o que acontecer hoje, a certeza de já ter deixado marca nesta edição da Champions League ninguém nos tira. A ambição de jogar pelo menos mais dois jogos vai certamente fazer com que os Azuis e Brancos, sejam os 11 em campo ou os 4000 nas bancadas, dêem hoje tudo de si na capital da Baviera.
Quanto ao Bayern München:

O Bayern conta com o regressado Schweinsteiger como a principal novidade, mas consta que Bernat e Ribery não treinaram, o que deixaria o Bayern coxo do lado esquerdo atendendo à ausência prolongada de Alaba. Sinceramente acredito que Guardiola quer ensinar a missa ao vigário, escondendo o espanhol e o francês até à hora de jogo, tentando imitar a jogada de mestre do FCP na 1a mão com Jackson Martínez.


Neuer na baliza (o que não aconteceria se vestisse outra camisola!), Lahm na direita, Dante e Boateng no centro e Bernat na esquerda, Xabi Alonso, Thiago e Schweinsteiger, Götze, Müller e Lewandowski.
Esse deve ser o onze dum Bayern ferido de morte e por isso mais perigoso que nunca, todavia exposto a sofrer o golpe de graça.
E que graça teria que fosse hoje...


Crónica escrita pelo grande portista Ricardo Lima, que muito nos honrou por ter correspondido ao convite!

Sem comentários:

Enviar um comentário