Azul e Branco

Azul e Branco

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Vitória de Setúbal 0-2 FC Porto: Finalmente 3 pontos a Sul

O FC Porto deslocou-se ontem ao Estádio do Bonfim para defrontar o Vitória de Setúbal em jogo a contar para a 31ª jornada do campeonato. Com a vitória do Benfica em Barcelos na véspera, a partida frente aos sadinos (por que raio é que jogámos depois do Benfica?), assim como os restantes encontros até final da temporada, quase que serviu apenas para cumprir calendário. Infelizmente, o título está entregue e o segundo lugar já não nos vai fugir, o que se traduz em dificuldades acrescidas para Lopetegui conseguir motivar os jogadores e adeptos. 

Surpreendentemente, a equipa entrou forte no jogo e não pareceu muito afectada com o resultado do rival na véspera. Lopetegui optou novamente pelo 11 em melhor forma (excepção feita a Ricardo, que substituiu o castigado Danilo e ao fetiche Maicon - Helton, Ricardo, Maicon, Marcano, Alex Sandro, Casemiro, Herrera, Oliver, Quaresma, Brahimi e Jackson) e colocou a equipa a jogar no esquema táctico que melhores resultados trouxe este ano. O primeiro golo surgiu naturalmente, com Brahimi a concluir um centro de Ricardo após boa jogada colectiva pela direita. O FC Porto não abrandou e procurou o segundo golo com convicção, apesar da excessiva dureza dos adversários e da inenarrável actuação do árbitro Marco Ferreira, que tudo fez para impedir a vitória dos azuis e brancos. Alguém consegue explicar como é que uma equipa que passou o jogo a atacar e teve 70% de posse de bola acaba o jogo com 20 faltas assinaladas contra 10 do adversário? Pois, eu também não.

A segunda parte trouxe um FC Porto mais frouxo e menos concentrado e um Setúbal a mostrar novamente porque é que é uma das 4 equipas ainda em risco de descer de divisão. Lopetegui não ajudou e voltou a colocar um médio no lugar de um extremo (Evandro por Quaresma), como que passando a mensagem de que o importante era aguentar a vantagem ao invés de tentar ampliar o resultado. Substituição falhada e 25 minutos finais decepcionantes. Curiosa esta recente viragem para um 4-4-2, que tão maus resultados tem trazido, com Oliver a colar-se à linha quando temos a posse de bola...
Já sobre o apito final, Jackson Martinez acabou por fechar a contagem, concluindo com o pé esquerdo uma boa assistência do mexicano Herrera. Os Dragões regressavam aos triunfos para o campeonato em jogos a sul do Mondego, algo que já não acontecia desde Agosto de 2013. Faltam agora três encontros para terminar a época (recepções ao Gil Vicente e Penafiel + deslocação ao Restelo) e compete-nos vencê-los, adiando ao máximo os festejos do Benfica e ajudando Jackson a ser coroado novamente como Rei dos Goleadores.

Sem comentários:

Enviar um comentário