Porto Bayern

Porto Bayern

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O Mercado, o Nosso Plantel e os plantéis dos rivais

Numa altura em que ainda faltam mais de 10 dias para o mercado de transferências finalmente fechar (inacreditável como é que se permite que o mercado continue aberto mesmo depois das principais ligas terem começado), é tempo de fazer um pequeno balanço sobre aquilo que passou e de analisar os plantéis dos três candidatos ao título.

No que ao nosso FC Porto diz respeito, a análise não é fácil e as avaliações que tenho lido variam imenso. Comecemos pelos factos, mais concretamente pelos jogadores que compõem o plantel neste momento:

Helton         (Gr)                  Rúben Neves   (Mc)               Brahimi      (Ext)
Casillas       (Gr)                  Imbula              (Mc)             Tello           (Ext)
Gudiño        (Gr)                  Danilo              (Mc)              Hernani       (Ext)
                                           Herrera             (Mc)              Varela         (Ext)
Maxi           (Dd)                  Evandro            (Mc)              Bueno         (Av)
Ricardo       (Dd)                  André André     (Mc)            Aboubakar  (PdL)
Cissokho     (De)                  Sérgio Oliveira (Mc)            Osvaldo      (PdL)
Angel          (De)
Marcano      (Dc)
Maicon        (Dc)
Indi              (Dc)
Lichnovski  (Dc)

(* a bold e sublinhados estão os jogadores que o ano passado não faziam parte do plantel)

Saíram, relativamente à época passada, Fabiano, Andrés Fernandez, Danilo, Alex Sandro, Reyes, Casemiro, Oliver,  Quintero, Campanã, Quaresma, Jackson, Gonçalo Paciência e Adrian Lopez.

Se é verdade que a saída de alguns jogadores não se vai fazer notar (os casos mais evidentes são os de Adrian Lopez, Reyes, Campaña e Andrés Fernandez), não menos verdade é que do lote de atletas que deixaram o Dragão constam 7 dos 12 jogadores mais utilizados em jogos oficiais de 2014/2015. Fabiano, Danilo, Alex Sandro, Casemiro, Oliver, Quaresma e Jackson eram presença assídua no 11 inicial, sendo que desses 7, dois (Fabiano e Quaresma) saíram por opção do treinador e/ou direcção.

Ou seja, 5 habituais titulares já não estão à disposição de Lopetegui contra a sua vontade. Quase meia equipa! O treinador basco terá de construir, mais uma vez, uma equipa quase nova e terá de conseguir substituir quatro jogadores de classe mundial de uma só vez (não incluo aqui neste lote Casemiro).

Significa isto que Lopetegui é um pobre coitado e que está encontrada a desculpa perfeita para um eventual insucesso esta época? A resposta é, obviamente, negativa. A direcção trabalhou bem e tem tentado colmatar as saídas com jogadores de qualidade, para além de que o nosso plantel em nada é inferior ao do Sporting (partindo do princípio que não sairá ninguém muito importante) e é claramente superior ao do Benfica (dando, neste caso, como certa a saída de Gaitan, que é, de muito longe, o melhor jogador dos encarnados).

Façamos, agora, um comparativo entre os três grandes, posição por posição.

Na baliza, deixámos sair Fabiano e contratámos Casillas. A troca traz evidentes mais valias à equipa e coloca-nos, na pior das hipóteses, em pé de igualdade com os rivais de Lisboa. Se a isto acrescermos a presença de Helton no plantel, não tenho dúvidas que estamos mais bem servidos do que qualquer adversário no que à defesa das redes diz respeito.

Para o lugar de Danilo chegou Maxi Pereira. O brasileiro é, para mim, um dos 3 melhores do mundo na sua posição, pelo que seria impossível arranjar um substituto à sua altura. De qualquer das formas, e depois do que vi nestes primeiros jogos com a camisola azul e branca, penso que Maxi pode ser uma alternativa interessante e não irá comprometer defensivamente. Terá de ter na cabeça, naturalmente, que está a jogar pelo Porto e que não está imune a expulsões conforme se verificava até ao ano passado. Estamos, nesta posição, muito melhor servidos do que Sporting e Benfica, já que João Pereira nunca foi, nem irá ser nesta fase da carreira, um jogador de qualidade e Nelson Semedo ainda irá cometer os erros próprios de um jovem, pese embora a sua grande margem de progressão. Como alternativa a Maxi, mantivemos, e bem, Ricardo Pereira.

Para o lugar de Alex Sandro contamos com Cissokho. Se me disserem que o francês que regressou agora ao Porto é o mesmo da primeira passagem pelo Dragão, arrisco-me a dizer que não iremos sentir saudades do brasileiro. Infelizmente, tenho muitas dúvidas que assim seja. Os indicadores do jogo com o Napoles foram positivos, mas o teste de fogo será o embate deste fim de semana. Em comparação com os concorrentes lisboetas, penso que Jefferson está, pelo menos, ao mesmo nível de Cissokho e que estamos em vantagem relativamente aos defesas esquerdos do Benfica. Angel, se se mantiver no plantel, será um mero suplente.

No centro da defesa, poucas novidades (por enquanto). Lichnovski substitui Reyes como quarto central e não vislumbro grandes hipóteses para o chileno somar minutos esta época. Iremos manter Maicon, Indi e Marcano como centrais e esperemos que o número de golos sofridos a época passada se repita. Sinto que falta um central com capacidade de sair a jogar e que seja forte a construir, mas não me parece que estejamos muito piores que os rivais. A dupla Jardel/Luisão irá baixar muito com a saída de Jesus e a dupla Paulo Oliveira/Naldo ou Everton será uma dupla de respeito.

No meio campo, muitas entradas e saídas. Quintero foi dispensado e Casemiro e Oliver deixaram o clube após um ano de empréstimo e foram substituidos por Danilo Pereira, Imbula, Sérgio Oliveira e André André. Pese embora continue a achar que nos faz muita falta um jogador mais criativo no meio campo, sou da opinião de que os jogadores que entraram esta época nos trazem muitas soluções para esta zona do terreno. Estou especialmente bem impressionado com Danilo e André André e sei que Imbula pode dar muito mais do que deu até agora. Se a isto juntarmos Rúben Neves, Evandro e o Herrera de alguns períodos do ano passado, nada temos com que nos preocupar. No entanto, penso que o Sporting está, também, muitíssimo bem servido no meio campo. William Carvalho, João Mário, Adrien, Aquilani e até André Martins irão dar muitas dores de cabeça a todos os adversários. Relativamente ao Benfica, continuo a achar que falta muita qualidade na zona central. Samaris e Fejsa só defendem e não conseguem construir, Talisca é uma incógnita (será o Talisca da primeira ou da segunda volta?) e Pizzi não consegue fazer tudo sozinho. A tentativa falhada de Rui Vitória em jogar em 4-3-3 nesta pré temporada demonstra isso mesmo e o Benfica rapidamente irá voltar ao 4-4-2 da época passada.

Nas alas, a ausência de Quaresma acabará por se fazer sentir em alguns jogos desta época. Quem me conhece sabe que não sou seu fã, mas não posso negar que o seu virtuosismo rendeu vários pontos nas últimos épocas. Para o seu lugar chegou Varela, que nos trará outras qualidades e virtudes. Quero acreditar que não ficaremos a perder muito, mas só o futuro o dirá. Mantivemos Hernani, Tello e Brahimi e parece-me que estamos bem servidos para atacar os desafios que estão aí à porta. Neste aspecto, o Sporting está novamente forte. Carrillo irá explodir este ano e Ruiz demonstra muita classe em tudo o que faz. Carlos Mané e Gelson são alternativas válidas a sair do banco. Já o Benfica, mantendo Gaitan, será forte. Saindo o argentino, as coisas mudam de figura e os encarnados terão de ir com tudo ao mercado, até porque não sabemos quando e em que condições regressará aos relvados a outra estrela da companhia Salvio.

No centro do ataque, perdemos o melhor jogador do campeonato. Jackson Martinez partiu para Madrid e deixou uma tarefa dificílima a Aboubakar. Estará o camaronês preparado? Não acredito que faça esquecer Jackson, mas tenho confiança que dará uma boa resposta. Para ajudar Aboubakar chegaram Bueno e Osvaldo. Tenho muita esperança que o espanhol seja uma das figuras da equipa e que o italiano se concentre apenas em jogar e que demonstre a sua qualidade. Na frente de ataque, penso que o Benfica se reforçou bem e que está em vantagem face à concorrência. Jonas continuará a mostrar a sua classe e veio goleadora, caso Rui Vitória o coloque a jogar ao lado de Mitroglu (grande contratação) ou do mexicano Jimenez (uma incógnita para mim). Já o Sporting, penso que perderá muito se continuar a apostar na dupla Gutierrez/Slimani, uma vez que nenhum deles tem qualidade técnica para dar continuidade aos ataques pela zona central e apostam maioritariamente nas suas qualidades físicas para tentar marcar a diferença.

Por fim, quero salientar que esta não é uma avaliação final aos plantéis. Acredito que muita tinta ainda irá correr até ao dia 31 de Agosto e tenho a esperança que o FC Porto contrate, pelo menos, um central e um médio centro com características diferentes dos restantes.

Para já, temos de quebrar a malapata da Ilha da Madeira e vencer o Marítimo no Sábado.

#VamosPortoCaralho

PS: Em termos financeiros, o dossier/negócio Alex Sandro foi pouco menos do que brilhante. Vender um defesa em final de contrato por 26M de euros é genial. Desportivamente é que já não podemos dizer o mesmo...

Sem comentários:

Enviar um comentário