Azul e Branco

Azul e Branco

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Tondela 0 - 1 FC Porto

Na antevisão deste jogo, Sérgio Conceição disse que a equipa não iria ganhar sempre por 4-0 e que certamente haveria jogos ganhos pela margem mínima. Pois bem, o timing da frase não poderia ter sido melhor. O Tondela montou uma estratégia que dificultou a vida ao FC Porto durante os 90 minutos. O 4-3-3 montado por Pepa quase sempre pareceu um 4-5-1 com os médios e os extremos a formarem uma linha de 5 jogadores. Este pequeno exército do meio campo esteve focado em condicionar a nossa saída a jogar pelo meio que dependia essencialmente de Oliver (e por vezes de Danilo). O resultado é justo, mas seria mais fácil se o guarda-redes adversário fosse outro. Cláudio Ramos comprovou a qualidade que já lhe tinha sido atribuída na época passada, mas o FC Porto deu a volta ao criar formas diferentes de chegar à baliza. Estou convencido que o FC Porto 2016/17 não ganharia este jogo e por isso devemos acreditar que este ano estamos mais fortes.

Pontos (+)

- Alex Telles (MVP) – A atacar e a defender. Com raça e com qualidade. Esteve concentrado nos 93 minutos do jogo.

- Brahimi – Mais uma vez é difícil não mencionar o seu nome quando desequilibra da forma como fez hoje. É verdade que demorou a soltar a bola em um ou outro lance mas fez o que era preciso para furar a muralha do adversário.

- Corona – Muito interventivo. Correu muito para desequilibrar e apareceu também na sua área para defender. Escusado o amarelo que recebeu.

- AboubakarDecidiu o jogo e ainda rematou ao poste. Com pouco espaço consegue sempre criar oportunidades e esperemos que assim continue.


- Linha defensiva – A nossa linha de 4 defesas continua a ser uma autêntica muralha; muita raça e muita serenidade.

- Mentalidade ofensiva – Várias vezes vimos 4 ou mais jogadores dentro da área do Tondela prontos a finalizar.

- Adeptos – Deslocação numerosa e a prometer um forte apoio durante esta época.


Pontos (-)

- Faltas – Algumas faltas desnecessárias e infantis.

- Passes – Alguns passes falhados na tentativa de jogo mais direto e que nos fez perder a posse da bola

Rescaldo: Com Danilo a mostrar que não está adormecido, a equipa conseguiu superar as dificuldades de jogar fora, num terreno apertado e contra uma boa estratégia. Apesar de estarmos na 2ª jornada, esta é daquelas vitórias que pode definir um campeão.


Eu quero o Porto campeão!

PS: Texto da autoria de Francisco Ortigão, a quem "o Pé que está mais à mão" muito agradece a colaboração

Sem comentários:

Enviar um comentário