Azul e Branco

Azul e Branco

domingo, 29 de outubro de 2017

Boavista 0 - 3 FC Porto: BAM, BAM, BAM!!

O ano passado em Espanha rivalizaram dois trios que fizeram as maravilhas dos adeptos: a BBC (Bale, Benzema e Cristiano) e a MSN (Messi, Suarez e Neymar). Este ano em Portugal há um trio que, à escala do nosso campeonato, tudo tem levado à frente e tudo tem resolvido a favor da nossa equipa: o BAM (Brahimi, Aboubakar e Marega), trio que por cá tentará superar a benfiquista EVA (emails, vouchers e APAF) e a "vaca" sportinguista (4 jogos ganhos sem saber ler nem escrever nos últimos 5 minutos do jogo).

Enquanto Brahimi é, nesta altura da época, o melhor jogador do campeonato, aquele que desequilibra, que recebe a bola mesmo quando apertado por dois ou três adversários, que assiste os colegas para golos fáceis ou que tira do sério quem lhe tenta roubar a bola, já Marega e Aboubakar  vão somando golos decisivos jornada atrás de jornada (já lá vão 16!), desbloqueando jogos complicadíssimos e permitindo ao FC Porto seguir na liderança do campeonato.

E por falar em complicadíssimo, penso que não existe melhor forma de descrever o jogo de ontem no Bessa. Apesar de ter entrado com a mesma equipa que bateu tranquilamente o Paços de Ferreira a semana passada e com um esquema táctico que me parece o mais adequado para fazer frente a equipas médias/pequenas da nossa liga, a verdade é que os primeiros 45 minutos do derbi foram os mais fracos da época. Mérito do Boavista, que surpreendeu pela qualidade dos seus homens mais adiantados (Renato Santos, Fábio Espinho e Yusufa), e demérito do FC Porto, que tentou levar o jogo para uma dimensão física e de duelos individuais constantes que apenas beneficiou o Boavista e as suas linhas mais recuadas.

Na segunda parte parece-me que as indicações foram no sentido de se jogar com mais cabeça e menos raça, tentando utilizar as armas em que somos muito mais fortes que o Boavista, o que nem sempre foi colocado em prática pelos nossos jogadores. O primeiro golo acabou por surgir logo no início da segunda parte numa jogada em fizemos o adversário cheirar a bola e permitiu à equipa soltar-se um pouco mais, mesmo que o Boavista não tenha deixado de incomodar a defensiva azul e branca, o que deixava no ar alguma incerteza quanto ao desfecho do marcador.

Por volta do minuto 70, Sérgio Conceição fez entrar André André para condicionar a primeira fase de construção do Boavista através de David Simão e o técnico dos axadrezados viu-se obrigado a tirar um defesa para colocar um avançado na esperança de oferecer mais linhas de passe na frente ao seu construtor de jogo. No entanto, estas duas alterações alteraram por completo o cariz do jogo e o FC Porto assumiu uma supremacia que lhe permitiu criar várias situações de golo iminente. Marega e Brahimi fizeram o segundo e terceiro golos quando surgiram isolados na cara de Wagner, isto já depois de Herrera ter falhado um golo cantado.


Individualmente, destaque natural para o argelino Brahimi. Um golo, uma assistência e muita vontade de ter a bola, mesmo quando todos os seus colegas apenas se preocupavam em jogar longo na procura da profundidade de Marega e Aboubakar. Nota positiva, também, para José Sá (grande defesa com 0-0 no marcador), Aboubakar e Marcano. Pela negativa, realce para Felipe, mais preocupado em envolver-se em duelos individuais com os adversários do que em oferecer bolas jogáveis aos seus colegas de equipa.

Em resumo, não foi uma exibição de encher o olho, mas mesmo assim foi bem melhor do que aquilo que os nossos rivais (não) apresentaram este fim de semana e o mais importante foi alcançado:
3 pontos na bagagem e mais uma jornada isolados na liderança!

bom domingo a todos os Dragões!

1 comentário: