Azul e Branco

Azul e Branco

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

FC Porto 3-1 Marítimo: Tanques de Guerra

Contra o 5º lugar do nosso campeonato e 4ª defesa menos batida, a batalha não se previa fácil para o FC Porto. A equipa entrou muito dinâmica na troca de posições com Brahimi a “furar” pelo meio, Aboubakar a vir buscar jogo mais atrás e a dupla Maxi-Ricardo a tabelar. Tudo com o objetivo de encontrar espaços na muralha defensiva montada por Daniel Ramos. 
O Marítimo conseguiu manter-se coeso e concentrado, operando num bloco baixo e com 5 defesas para evitar as famosas investidas de Marega na profundidade. A nossa equipa começou por isso a apostar em cruzamentos (25 bolas na área adversária na 1ª parte) essencialmente via Alex Telles para encontrar uma forma mais direta para chegar ao golo... mas sem sucesso. Perante este cenário havia sobretudo 2 formas possíveis de chegar à vantagem: lance de bola parada ou contra-ataque. E assim foi. Mais uma assistência de Alex Telles e mais um golo de bola parada em números que rondam os 30% no que diz respeito ao total de golos da equipa do FC Porto esta época.
A seguir veio então o golo de contra-ataque que faltava e já o Marítimo jogava com 10 jogadores. Se já é difícil jogar contra este FC Porto com 11 jogadores, quanto mais em inferioridade numérica. 
A partir daqui, a nossa equipa assumiu o jogo por completo e fez correr o adversário. 87% de eficácia de passe e 73% de posse de bola no fim dos 90 minutos. A juntar mais um golo de Marega que assistido por Brahimi faz uma fotocópia do 2º tento dos dragões.



Pontos (+)

- Danilo (MVP) – Será o 3º MVP seguido para Danilo? Para alguns sim ou para outros nem tanto mas é indiscutível a subida de rendimento do médio. A principal diferença é na participação do jogo ofensivo como hoje aconteceu tal como já tinha acontecido no jogo com o Guimarães. Está cada vez mais completo e capaz. Danilão!
- Marega – Aos 30 minutos já tinha perdido mais de metade das bolas que teve no pé (10 em 19), mas é incontornável a influência que tem nos números ofensivos da equipa. Sérgio Conceição consegue fazê-lo superar todos os pontos fracos que lhe são evidentes. Hoje foram mais 2 a somar às contas da época.
- Diego Reyes – Com muita segurança na saída a jogar e nos desarmes, Reyes passa cada vez mais confiança para o jogo com o Liverpool onde será inevitavelmente titular. Resta saber se será temporário ou não… veremos!
- Alex Telles – Telles está a atingir níveis exibicionais incríveis. Se olharmos para os últimos defesas esquerdos do FC Porto, talvez só Alex Sandro o superasse em termos de qualidade. O equilíbrio, a consistência de jogo para jogo e qualidade na execução das bolas paradas faz dele o melhor lateral esquerdo do campeonato a léguas dos restantes.



- Versatilidade – A equipa encontra sempre forma de chegar ao golo. De bola parada, no contra-ataque, de bola corrida… Já 11 jogadores diferentes do plantel marcaram na liga… e não ficará por aqui!
- Posse de Bola – Já tinha apontado este ponto no jogo com o Setúbal mas a verdade é que se tem notado esta evolução nas últimas partidas. Dá a entender que o nosso treinador tem trabalhado esta vertente do jogo (algo que era criticado no início da época).

Pontos (-)

- Lance do golo – O lance do golo sofrido foi provavelmente o único erro digno de registo durante o jogo de ontem. Nasce de uma situação normal de contra-ataque do adversário obviamente causada pelo nosso estilo de jogo subido e de pressão constante. No entanto, houve precipitação e alguma falta de compostura na tentativa de recuperar a posse assim como alguma apatia por parte de Herrera na abordagem ao lance.

Rescaldo: Foram 2 tanques de guerra que comandaram o exército de Conceição à vitória: Danilo e Marega. Chegamos ao final de 2017 onde pretendemos estar: em 1º lugar.
A melhor defesa, o melhor ataque e um feliz natal para todos!


Queremos ver o Porto campeão!

Sem comentários:

Enviar um comentário