Azul e Branco

Azul e Branco

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Feirense 1 - 2 FC Porto: remember Campomaior


Fábio Veríssimo no apito, Bruno Paixão no vídeo árbitro. A frase fala por si e toda a gente que acompanha esta fraude a que chamam Liga Nos percebeu que hoje teríamos uma bela de uma  encomenda na Vila da Feira. Sim, acertar que hoje o "Aguenta Aguenta" ia fazer das suas pagava 1,01 nas diversas casas de apostas. No entanto, ninguém pensou que o ladrão de serviço fosse fazer um remake do escândalo de Campo Maior de Fevereiro do ano 2000. O que se passou hoje foi (mais um) verdadeiro caso de polícia!


Introdução ao jogo feita e quem não assistiu à partida ficaria a pensar "claro que perdemos pontos. Contra quinze é impossível! Em dia de clássico da segunda circular o FC Porto não podia ganhar... "

Mas ganhou! Ganhou, porque já todos dentro do grupo perceberam que esta versão portuguesa do wrestling (aquela modalidade que escolhe o vencedor na secretaria) não tem no seu guião a consagração de um justo campeão e que tem muito mais piada e muito mais valor sair vencedor no final quando assim é. E quando todos remam para o mesmo lado com tanta força e quando todos querem tanto a mesma coisa, não há polvo nem padres que consigam fazer parar este mar azul.

O jogo de hoje não foi brilhante em termos estratégicos (continuo com dificuldades em entender a escolha de André André em detrimento de Oliver). Nem tão pouco foi um primor do ponto de vista técnico ou de inspiração individual/colectiva. Mas foi um jogo à Porto dos bons velhos tempos. Dos tempos em que, quando as coisas saem menos bem ou quando a arbitragem nos empurra para baixo, sabíamos que as vitórias na garra, no antes quebrar que torcer, no querer e na solidariedade valem tantos pontos quanto as vitórias com nota artística. 
A história do jogo não é difícil de contar. Uma entrada em campo a meio gás e a apostar em demasia no jogo directo para Marega e Aboubakar. Esta abordagem acaba por funcionar menos bem quando Herrera não está em campo (nenhum outro jogador tem o mesmo raio de acção do mexicano) e a equipa acabou por ressentir-se. De qualquer forma, o FC Porto controlava o jogo e acabou por inaugurar o marcador por Aboubakar à passagem dos 22 minutos.  O mais difícil parecia alcançado, já que a desvantagem no marcador obrigaria o fogaceiros a "sair da toca". Infelizmente, numa das duas ou três vezes em que o adversário passou o meio campo, o FC Porto sofreu o empate na sequência de um livre lateral batido para a área.

Os dragões acusaram o toque e o padre de serviço aproveitou para também entrar em campo, começando por perdoar um vermelho ao feirense Kakuba, embalando para um segunda parte que teve um pouco de tudo: penalti por assinalar sobre Marcano, vermelho por mostrar ao feirense Tiago Silva, expulsão de Felipe quando o brasileiro nem toca no adversário, amarelo a Soares por simulação quando o adversário quase arrancou o pé do portista em cima da linha da área, critério disciplinar escandalosamente parcial e, cereja no topo do bolo, a invenção de um livre à entrada da área por palavras do capitão Marcano. Nojo!!

Para mal dos pecados do vigarista do apito, Felipe ainda fez o 1-2 (mais uma assistência para Alex Telles) antes de ser expulso e os seus colegas aguentaram estoicamente a vantagem no marcador até ao minuto 98(!). Quando finalmente chegou o apito final, vi Sérgio Conceição disparar em direcção ao árbitro da partida e fiquei com um misto de sentimentos. Por um lado, tive a esperança que ele reencarnasse o Vítor Baía do jogo de Campo Maior e fizesse aquilo que (quase?) todos os Portistas tinham vontade de fazer. Por outro, tive medo que ele perdesse as estribeiras e acertasse o passo ao padre, pois é exactamente isso que eles querem. Que alguém do Porto perca de vez a cabeça. De preferencia o nosso timoneiro (muito bem a decisão de não marcar presença na flash interview e na conferência de imprensa).

Em resumo, três pontos importantíssimos e liderança isolada no campeonato já que benfica e sporting fizeram o favor de empatar o jogo entre si. Domingo às 20h15 há mais e esta equipa merece um Estádio do Dragão a abarrotar para mostrar que estamos com eles, contra tudo e contra todos


1 comentário:

  1. Acho bom que o Sérgio, com a amostra deste jogo, pense bem sobre qual é a sua posição privada e pública quanto à acção do Francisco Marques e do Porto Canal na denúncia dos casos dos e-mailes. As suas declarações há uns dias foram lamentáveis, parecia juntar-se ao coro dos que acusam o Porto de estar a lançar a guerra num paraíso cheio de anjos e onde reina a justiça!

    ResponderEliminar